25 maio 2007

39 músicas (24)


Estou relendo o Retrato de Dorian Gray. Adoro o livro.
Ainda falarei mais detidamente sobre ele, sobre a relativização ( ou exaltação?) do mal, sobre o hedonismo presente de forma enfática. Me irrito com Lord Henry, aquele aristocrata pentelho que no ínício tem tão grande influência sobre Dorian , apesar de me horrorizar com suas falas, concordo com algumas. Duras, cruéis, mas não destituidas de verdade.
Em um determinado momento, diz que as mulheres "adoram os homens, como os antigos adoravam os deuses, sempre pedindo algo". É mais ou menos isso.
Em outro ponto, diz que as mulheres não sabem a hora de "sair do palco, de fechar a cortina". Não sabem a hora de terminar um relacionamento, ou pior, perceber que ele já terminou.
Claro que isso não se aplica a todas nós, nem em todos os momentos.E o bom humor tem que consolar.
Mas eu confesso que já tentei "continuar a peça". Devo dizer que , na maioria das vezes, quem fecha o pano e diz: "olha só, meu filho, acabou", sou eu. Mas às vezes em que desejei que minha história com alguém tomasse outro rumo - e não tomou - deixaram lá suas marcas. Obviamente que tudo fica enterrado na lembrança, mas no momento da angústia, a tal sensação de perda parece não ter fim.
Algumas vezes, parece que perceber que a expectativa é unilateral é de tal maneira frustrante, que se tona quase intolerável.

10 comentários:

  1. os tempos devem ter mudado muito, porque esses meus não poucos anos de observação empírica indicam que geralmente quem 'sai do palco' são as mulheres. Homem fechando a cortina só vi quando tinha mão de outra mulher por trás.

    ResponderExcluir
  2. Maroto, tai: como eu disse, na maior parte das vezes, eu fechei a cortina e encerrei a peça. Mas quando não foi assim, ô sensação horrorosa e frustrante.

    ResponderExcluir
  3. Vivien, acho boa tua observação.
    Mas só vale para relações fugazes.
    Só quando se "quer". Com as coisas do coração, se houver amor, quem há de?
    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Vivien
    Uma boa expressão da verdade.
    Não é fácil lidar com essas circunstâncias em alguns momentos.
    Mas, vivendo é que se aprende.

    Parabéns pelo Blog! ;-)

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Vivien10:27 AM

    Neto, não é fácil...rs...mas é possível.;0)

    ResponderExcluir
  6. Vivien,

    Minha sensação é semelhante à de Maroto. Na maioria dos processos que testemunhei, de amigos ou familiares, foi da mulher a iniciativa do pé na bunda.

    Acho até que os homens tenham mais essa tendência quando o relacionamento ainda não é formal. No caso dos relacionamentos mais consistentes, entretanto, sinto que os homens são mais comodistas, mais preguiçosos. Preferem deixar como está.

    As mulheres, em minha opinião, são muito mais exigentes quanto à qualidade das relações. Quando descontentes, procuram a separação. E quando desfeita uma relação, a maioria dos homens, rapidamente, se une a outra mulher, sem se preocupar muito com o que é que vai ser. As mulheres, por sua vez, por serem mais críticas (e isso é uma qualidade), acabam tendo mais dificuldade em se unir novamente. Parece que procuram pessoas que não apresentem os mesmos defeitos do relacionamento anterior. Acabam, em alguns casos, criando expectativas tão inatingíveis, que não encontram nenhum "candidato" a altura dessas expectativas.

    Não tem crítica ou elogio nesses comportamentos de homens e mulheres. Apenas é o que eu tenho observado por perto.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem? Obrigada pela visita! Gostei do seu blog e vou colocá-lo na minha lista.
    Relacionamentos... Confesso que não sou muito boa com fins, aliás acho que até já esqueci como se faz, estou com meu namorido a nove anos...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Babs, obrigada. Tb gostei muito do seu blog.Volte sempre.;0)

    ResponderExcluir
  9. Vc tinha medo do quadro? Cruzes! Eu tb amei o livro, mas tive um medao dos diabos, nao posso negar.
    :o)

    ResponderExcluir
  10. tem um aspecto aterrorizante....rs

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: