27 abril 2007

Péssima notícia


O Senado aprovou a redução da maioridade penal para 16 anos. Eu já tinha comentado sobre isso nesse post e meu filho também.

Não vi uma discussão séria e sistemática sobre a conjuntura que gera violência. Vi apenas "debates" sobre a questão punitiva. É como se a conversa fosse sobre a dosagem de remédio pra baixar a febre, sem tratar a infecção. Sei que a analogia é pobre, mas estou irritada e não consigo pensar em outra coisa.

Não consigo imaginar como uma solução tacanha e populista dessa possa vir a melhorar a questão do cotidiano das pessoas. Se os problemas de educação, saúde e alimentação, itens básicos pro exercício da cidadania não são resolvidos, como querer conter a violência?
O que me choca é que parece que esses itens, intrinsecamente relacionados a essa questão, não aparecem nas discussões.
O que me espanta não é o garoto que se torna traficante, o que me espanta é o garoto, dentro da favela que não se torna traficante. Se a porta da sua casa vai ser chutada da mesma forma, se ele pode morrer - com bala do tráfico ou dos "hôme" - se ele vai ganhar uma merreca se estiver dentro da legalidade, por que ele ficaria dentro da legalidade?
Eu me sinto tola em dizer coisas de uma obviedade tão gritante. Tão gritante.

10 comentários:

  1. Sibila1:56 PM

    Vivien,
    muito angustiada com isso.
    Acho q sempre a beleza, do jovem, do maduro, do velho, sei lá como se categorizam as pessoas. Mas existe a beleza dos jovens de elite, de leite ou leito, ou não, e ela tem uma força irresistível. Não sou da periferia, não sou mãe (talvez o fundamento, + fundamental), sou apenas tia, madrinha, amiga, companheira desse mundão (se bem q eu no dito 1. in-mundinho). É controverso. Mas casos como crimes hediondos têm de ser tratados com mais punição (olha eu falando, irreconhecível!). OS DE CRIME HEDIONDOS! Agora, q a sociedade é maluca e hedionda isso ela é. E aí? Não ter prisôes - ainda mais essa nojentas q existem no Brasil(?); não ter polícia - ainda mais essa corrupta e tão bandida qto no Brasil (?). Tudo tão errado, vontade de chorar, de vomitar, de tanta injustiça e terror!

    E, não sei pq (civilização de merda todos os q falam mal dos "tupiniquins" ou dos "caipiras"!), lembro da música do Caetano:

    "E aquilo que nesse momento se revelará aos povos,
    surpreenderá a todos não por ser exótico,
    mas pelo fato de poder estar sempre
    estado oculto quanto terá sido o óbvio."

    Ou O Gil, na cnação do congresso mundial, discutindo economia,o progresso mundial, a ... a energia; qdo em seu discurso, saíram um por um, depois de ouvir um assovio, um cantar pernambucano, dizendo:
    " Viva o índio do Xingu, viva o índio do Xingu!".

    ResponderExcluir
  2. Vivien, eu concordo com a queda na maioridade penal. Acho que o combate à violência, melhorando as condições de vida do povo, podem levar muito tempo. E acho que essa medida pode, pelo menos, diminuir a impunidade.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Sibila, acho que sem uma estrutura completamente diferente do que existe , em termos de sistema penitenciário, nada muda.beijos.

    ResponderExcluir
  4. Julio, enquanto esses entram nessa hiper-mega-escola de crime ( essas prisoes brasileiras ridiculas), nascem milhares de outros condenados.Não vejo como isso pode ser melhor...

    ResponderExcluir
  5. Vivien,
    Compartilho com sua angústia e revolta. O ideal seria prender o infrator ao nascer, em nome da segurança. É onde chegaremos. Logo estaremos querendo reduzir para quatorze, doze, dez, assim por diante. Escola, saúde, emprêgo que é bom...
    Beijão

    ResponderExcluir
  6. Lord, parece que esse é o raciocínio...deprimente mesmo. Passar ao largo dos pontos cruciais.

    ResponderExcluir
  7. é exatamente isso, vc tocou no ponto:
    "Não consigo imaginar como uma solução tacanha e populista dessa possa vir a melhorar a questão do cotidiano das pessoas. Se os problemas de educação, saúde e alimentação, itens básicos pro exercício da cidadania não são resolvidos, como querer conter a violência?"

    também fico chocada! ainda mais quando vejo pessoas reagindo inflamadas (contra minha opinião) por eu defender essas idéias.

    se tivéssemos iguais oportunidades aí sim, poderíamos dizer que a pessoa vira bandido porque quer (não estou defendendo os bandidos, que fique bem claro, como muitos acham que estou).

    ResponderExcluir
  8. Vivien, compartilho de sua opinião. Mas os incautos não entendem.

    ResponderExcluir
  9. Nessa , é por ai....oportunidades.

    ResponderExcluir
  10. Bruno, esses fulanos querem "soluções" rápidas. Como se isso fosse possível!!! beijo.

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: