10 abril 2007

Blogando


Outro dia, no trabalho, Tar estava comentando que, no meu blog, eu comento essas coisas.
Leia-se em essas coisas: pequenas cenas de infância, causos como o primeiro beijo e outras coisas.
Eu quero contar uma história, só isso.Se eu tiver que olhar pra mim, olhar pra minha vida, pra ter uma história pra contar, que seja assim. Não foi assim que tantos criaram histórias? Elas precisam ser realmente exógenas?
Não quero que sejam alheias , quero que sejam histórias que me toquem, me irritem, me divirtam...mas que tenham, todas, sentido pra mim.
Eu disse mais ou menos isso na Tati, quando ela colocou o anônimo louco dela pra correr. E eu li algo bem nesse sentido no Alex Castro: questionado por um leitor, ele disse que não queria bancar essa ou aquela imagem, queria contar uma história.Contar uma história.
Já disse aqui que esse blog é um dos meus atuais maiores prazeres. Já gostava da blogosfera quando ficava lendo e comentando por aí, gosto mais ainda , podendo escrever sobre o que eu quiser. E mais do que isso: revendo, remodelando ( ou não ) o que penso, graças aos comentários que gosto tanto. Comentários que são - com eu disse pro Arnaldo na última vez que ele escreveu aqui - post dentro do post, criando uma outra forma de ler, interativa, dinâmica e curiosa.
Por isso eu blogo, por isso leio e por isso comento.

26 comentários:

  1. Vivien,

    O grande barato da blogosfera, em minha opinião, é justamente a gente ter liberdade de escrever sobre o que quiser, quando quiser e se quiser. É quase como escrever pra gente mesmo, pra extrair prazer, pra sentir tesão. Por isso é que eu acho que cada um tem que encontrar o seu caminho e aí, as aproximações vão acontecer naturalmente.

    Outro dia eu estava pensando justamente isso. Na maioria das interações que a gente tem nos blogs, tanto as concordâncias quanto as discordâncias, se dão num clima de muito maior cordialidade do que existe no mundo real, em qualquer outro ambiente. Acho que isso acontece porque no mundo dos blogs a gente se sente absolutamente livre. Isso é uma característica do mundo virtual. A gente lê aquilo que nos dá prazer, aquilo que nos toca. E quando para de tocar é simples. A gente simplesmente para de ler. Para de entrar. É diferente do jornal, é diferente da TV. No mundo da blogosfera não há imposições. O que não dá prazer tá fora!

    ResponderExcluir
  2. Arnaldo, sagaz e perfeito, como sempre.Eu assino embaixo: leio religiosamente vários blogs, vez por outra,faço uma faxina aí do lado...quem eu não estou lendo cai fora da minha lista.
    E eu continuo lendo e me interessando por muitos blogs, fascinada com a idéia de poder ler gente que, caso não houvesse a blogosfera, não estaria produzindo e não estaria sendo lido.;0)

    ResponderExcluir
  3. E disse também que gosto de ler "essas coisas" e outras tantas que vc colocoa aqui?

    Bjão

    ResponderExcluir
  4. Blogar é facinante e, rapidinho, vira vício. Ler blog então! Gente, são tantas pessoas que têm afinidade conosco e basta um clique no mouse! Ah... muito bom!

    ResponderExcluir
  5. Querida amiga, entendeste agora o que quis dizer no meu post...blogando eu sou unica...e concordo com Arnaldo...escrever e um prazer..e termos a opçao de ler, discutir, comentar....e otimo...
    Otimo texto minha amiga, sempre estou aqui...para ler e muitas vezes reler...mata a saudades...
    Os tempos do anibal, quero ler escrito porti, ver como seus olhos viam...(risos)
    Beijinhos carinhosos do outro lado do oceano

    ResponderExcluir
  6. Vivien está certíssima,escrever por prazer, escrever o que nos dá prazer, seja lá o que for.
    Temos histórias de vida fantásticas, e vamos contá-las sim, se nos der vontade.
    Gosto do seu jeitode falar as coisas.
    beijos menina.

    ResponderExcluir
  7. Vivien,
    Escrever, assumir o compromisso de diariamente falar e publicar alguma coisa, exige prazer. Contar histórias, de algum modo, nos remete à infância. É um jeito de retribuirmos o que sentimos no passado e reviver, agora como contadores, a alegria de criarmos um universo novo. Escrever é observar o mundo ao redor e, impressionado com ele, repetí-lo do nosso jeito. Gosto muito do que você escreve.
    Beijão

    ResponderExcluir
  8. te convidei pra fazer a lista. Vi!!

    ResponderExcluir
  9. comecei a blogar em 2000 e posso te dizer - blogar eh exatamente isso! :-) bjs,

    ResponderExcluir
  10. Parabolicamará
    Gilberto Gil


    Antes mundo era pequeno
    Porque Terra era grande
    Hoje mundo é muito grande
    Porque Terra é pequena
    Do tamanho da antena parabolicamará
    Ê, volta do mundo, camará
    Ê, ê, mundo da volta, camará

    Antes longe era distante
    Perto só quando dava
    Quando muito ali defronte
    E o horizonte acabava
    Hoje lá trás dos montes
    Dendê em casa, camará
    Ê, volta do mundo, camará
    Ê, ê, mundo da volta, camará

    De jangada leva uma eternidade
    De saveiro leva uma encarnação
    De jangada leva uma eternidade
    De saveiro leva uma encarnação

    Pela onda luminosa
    Leva o tempo de um raio
    Tempo que levava rosa
    Pra aprumar o balaio
    Quando sentia que o balaio ia escorregar
    Ê, volta do mundo, camará
    Ê, ê, mundo da volta, camará

    Esse tempo nunca passa
    Não é de ontem, nem de hoje
    Mora no som da cabeça
    Nem tá preso, nem foge
    No instante que tange
    O berimbau, meu camará
    Ê, volta do mundo, camará
    Ê, ê, mundo da volta, camará

    Esse tempo não tem rédea
    Vem nas asas do vento
    O momento da tragédia
    Chico Ferreira e Bento
    Só souberam na hora do destino apresentar
    Ê, volta do mundo, camará
    Ê, ê, mundo da volta, camará

    ResponderExcluir
  11. Tar, agora vc disse, mas confessa ai que teve um tonzinho de critica, vai....rs

    ResponderExcluir
  12. Claudia, cada dia descubro mais e mais. E descarto tb, tudo isso é muito bom.;0)

    ResponderExcluir
  13. Adriana, agora vc entende porque, quando vc veio aqui no Brasil, eu falava tão animadamente dessa blogosfera.;0)
    E vou postar sobre nosso passado de estudantes retardadas...rs

    ResponderExcluir
  14. Anna, obrigada, vc é sempre muito bem vinda aqui.;0)

    ResponderExcluir
  15. Lulu, já estou rascunhando desde ontem...hahahah

    ResponderExcluir
  16. Lord, blogar me faz observar mais o mundo. Fico feliz em saber que vc gosta.bj.

    ResponderExcluir
  17. Fezoca, vc é uma veterana!beijos.

    ResponderExcluir
  18. Clélia, me conta....como vc consegue??? Admiro demais essa sua sacada musical, virou sua marca mesmo.;0)

    ResponderExcluir
  19. Realmente eu não sei, Vivien... Surge, assim, de ler o texto, relacioná-lo a um tema, uma idéia, uma sensação, um link, e, aí, a uma música. É legal, divertido, gostoso! Que bom que você tb curte...
    bjão,
    Clé

    ResponderExcluir
  20. Por isso visito sempre a Casa da Mãe Joana!
    Adoro!

    ResponderExcluir
  21. Eu me arrependo de não ter vindo aqui antes, desde que começei a te encontrar no blog da pinta e do Sean.

    Eu não escrevo, mas adoro ler e acompanhar as histórias de quem escreve bem como vcs.

    Comenta sempre "essas coisas", é muito bom!

    ResponderExcluir
  22. Ana, pode vir sempre, a Casa está com as portas abertas pra quem é de paz.;0)

    ResponderExcluir
  23. Rosamaria, vou continuar comentando "essas coisas", vc é minha convidada pra ler. beijos.

    ResponderExcluir
  24. Vivien, compartilho contigo esse prazer de blogar... por motivos muito semelhantes tbm. Adoro!!

    Bjs,
    Vivianne

    ResponderExcluir
  25. Vivianne, cada vez que entro no seu blog fico planejando "o jantar". Quando eu o fizer, conto aqui.;0) Volte sempre.

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: