14 outubro 2007

Professores













Eu não sei ao certo o que colocar nesse post.Tudo me parece piegas, me parece nhém nhém nhém.Tenho aflição de post "fofo", vocês sabem. E eu nem estou com bom humor. Na verdade, estou com o humor confuso, irritadiço, desconfiado.
Mas ainda assim: confusa, irritadiça e desconfiada, sei que essa coisa de dia dos professores ainda merece um post.
Mereceria um de qualidade, com bom astral, coisas assim: mas fico devendo, "penduro" na conta do leitor. Por hora, digo que ser professora é algo pleno.
Poucas coisas são tão intensas quanto uma sala de aula, poucos momentos são tão inesquecíveis quanto aqueles em que você percebe que fez diferença, que mexeu com aquelas pessoas, que modificou algo.
"O futuro não é mais o que era antigamente", a gente berrava na adolescência, inebriados de Legião Urbana. Pois é, quero que o futuro de quem esteve comigo em sala de aula seja outro, seja melhor, seja diferente. Quero ter mudado, mexido, chacoalhado, quero ter feito diferença.
Tropeço com professores maravilhosos, tropeço com professores medíocres. Fujo dos papos sacais da sala dos professores e descubro blogs brilhantes de quem faz da sala de aula uma experiência única.
Não acho que todos os professores sejam maravilhosos. Acho que tem gente burra por ai, incompetente, mas acho também que tem gente incrível, criando, pensando, jogando, perguntando, respondendo, vivendo com os alunos.Acho que esses acabam criando uma amálgama onde aprender e ensinar acabam ficando mesclados, unidos: como deve ser mesmo.
E aí me animo toda, saio da irritabilidade, saio da desconfiança e começo a achar que muita coisa ainda é possível.
Me lembro de uma história antiga: estava na sétima série e odiava minha professora de História. "Matava' muitas aulas, pra ficar de papo furado, me achando complemente esperta por não ser pega.Me achava A radical, uia que judiação.
Um dia, teríamos que apresentar um seminário sobre diferentes temas,não tendo como fugir daquilo que seria um grande saco, meu grupo optou por estudar sobre o Egito. Ficamos várias tardes fazendo o trabalho. Ou melhor, conversando, comendo, rindo...e nas horas que nos sobravam, fazíamos cartazes e líamos sobre o tema.Na sala de aula, quando estávamos presentes, era pra tumultuar o meio de campo.
O fato é que gostei pacas daqueles homens esquisitos, dos tais faraós, da mumificação, da enigmática estátua do escriba sentado.Mas o que me motivava mesmo era fazer um trabalho bom pra esfregar na cara da chata da professora. Eu me animava com minha pequena vingancinha, achando que seria um choque para ela um bom trabalho vindo de um grupo sacaninha como o meu.Delirava pensando como seria horrível pra ela, como ela ficaria verde de ódio.Achava tão divertido tudo isso, achava mesmo.Enfim, chegamos, apresentamos, nos empolgamos.E vamos combinar, o trabalho ficou muito melhor do que o dos outros. A criatura competitiva que mora em mim já estava mostrando suas garras. E aí, tive uma surpresa tão grande que nunca esqueci.
A reação dela foi completamente diferente do que eu esperava. Diferentemente dos medíocres que ficavam sinceramente ofendidos quando tinham que admitir que nosso trabalho era bom, ela efetivamente ficou feliz.Para meu espanto, me abraçou, rasgou elogios para o grupo todo, dizendo francamente que não esperava aquele resultado e que tinha ficado feliz em ver.
Meu queixo rolou três quilômetros. A expressão dela era de felicidade mesmo e eu só fui entender plenamente isso quando vi um bom trabalho feito por alunos.
Sem a mesquinharia a que eu estava acostumada - que era praxe nos outros professores - essa cena de franqueza, alegria e de vontade de ensinar, foram cruciais pra mim.
Posso garantir que me tornei outro tipo de aluna e nunca esqueci aquele abraço, aqueles elogios risonhos e aquela generosidade.
Feliz dia dos professores, queridos.
E pra quem quiser ler mais sobre meus alunos, tem um marcador aí na direita : "alunos", clica lá e ria comgo.

22 comentários:

  1. Vivinha,
    Feliz dias dos professores.
    Esse dia é todo seu, por fazer de verdade a diferença, por amar o que faz, por desejar algo mais aos seus alunos,do que apenas jogar um
    conteúdo sem significado, mas o conteúdo que abrirá,as suas mentes,
    e as portas para um futuro melhor. Aos que passam e passaram por vc.
    Bjs
    Mamãe

    ResponderExcluir
  2. Vivien,
    Sinceramente lembrei de você hoje. Poucos na blogosfera declaram assim seu amor pelo ensino. Chateado com a morte do Paulo Autran, li uma declaração dele que me comoveu, talvez por não poder, infelizmente, dizer a mesma coisa. Explicou que a vida toda teve a felicidade de fazer o que gostava. Invejo esse tipo de coisa. Deve ser muito bom ganhar a vida fazendo o que se gosta. A impressão que tenho é que você também tem essa felicidade. Aproveito, então, para celebrar com você esse dia tão especial. Parabéns, professora!

    ResponderExcluir
  3. Mãe, lembra daquela sua aluna dizendo que minha aula era igual a sua???Sorte minha.
    Feliz dia dos professores.

    ResponderExcluir
  4. Lord Caco, que honra!
    Fiquei feliz com seu comentário. E é por aí mesmo, meu querido amigo, uma vez ouvi que pra ser feliz mesmo a gente tem que "acordar de manhã e ir dormir a noite..e nesse meio tempo, fazer o que gosta."
    E eu gosto.
    beijos.

    ResponderExcluir
  5. Pôxa, Vivien, que história bacana. Eu já tive professores muito ruins [inclusive, tenho hoje na faculdade]. Mas, para compensar, tive outros professores excelentes, que foram os que mais me influenciaram. Acho que, por ter professores na família, eu sempre entendi um pouco mais o lado de quem tava lá na frente [e quando vinham com esse papo de "parem de bagunçar, imaginem se a mãe de vocês estivesse aqui na frente!" eu nem precisava imaginar - tive aulas com a minha mãe, aff. hehe].

    Enfim, parabéns pelo seu dia e que você continue sendo essa excelente professora! :)

    ResponderExcluir
  6. neutron, obrigada. Manda um beijão pra sua mãe tb, já fui professora de filho...sei como é...rs
    beijocas.

    ResponderExcluir
  7. Vivien

    Tem professores que a gente nunca esquece e com certeza tu deves ser uma na vida de teus alunos.

    Parabéns!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Vivien,

    Ser professor não é um dom, mas uma busca constante pelo aprendizado coletivo. Tão difícil ser um professor dedicado no Brasil... Há muita humilhação.

    Obrigado pelo comentário no blog. A idéia "Vôo subterrâneo" cumpriu seu papel. O autor continua escrevendo e reaparecerá quando um novo projeto estiver delineado. Por ora, vou vivenciando e anotando.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Rosamaria: para o bem ou para o mal...acho que a gente marca mesmo.beijos.;0)

    ResponderExcluir
  10. Rodrigo, ainda acho que o Voo tem muita lenha pra queimar.Mas caso vc queira mesmo encerra-lo, não se esqueça de me avisar quando abrir outro. beijos.

    ResponderExcluir
  11. Feliz dia dos professores!

    adoreeei a história...

    ResponderExcluir
  12. Renata, obrigada. Beijão.;0)

    ResponderExcluir
  13. Feliz seu dia, querida. Missão ingrata, mas que nos fazem lembrar de alguns com amor quase ao ponto da idolatria...

    beijos duplos.

    ResponderExcluir
  14. se hoje escrevo devo isso a uma professora!

    já quis tanto encontrá-la, dar meu livro autografado, mas nunca soube seu sobrenome e ela sumiu dos meus dias.....

    beijos e boa semana, querida

    MM.

    ResponderExcluir
  15. Ai que lindo post, Vivi!
    Cara sou muito cagada, só tive professor filho da puta. O era eu que era filha da puta com eles? Ah, sei lá, bem só queria dizer parabéns pelo dia dos professores, beijo!

    ResponderExcluir
  16. Mara Goes6:33 PM

    Vivi!!
    Que história bonita!!
    Agora o dia dos professores ficou mais feliz pois vc me fez relembrar pq estamos nessa profissão.
    Um grande abraço,
    Mara Goes

    ResponderExcluir
  17. Sandra, obrigada.;0)
    Tô respondendo seu email, beijos.

    ResponderExcluir
  18. Mônica, tente pesquisar através do colégio que vc estudou, sei que ela ia ficar muito feliz com a lembrança.;0)
    beijos.

    ResponderExcluir
  19. Karen, que bom te ver por aqui.;0)
    Tô rindo aqui com seu comentário...pô, mas nenhum mesmo era legal??? que pé frio...rs
    beijos.

    ResponderExcluir
  20. Maraaaaaaaaa...!
    De certa forma vc já era professora quando me "adotou" na unhicamp, né? Me ensinou um pouco como agir dentro daquele lugar louco...heheh
    Parabéns pra vc, beijos.

    ResponderExcluir
  21. Andréa11:18 PM

    Viva eu, viva tu, viva o rabo do tatu!

    Caraca! E a gente gosta muito, ne?

    beijos
    Frou
    :o)

    ResponderExcluir
  22. Frou, noís semo doidja.;0-)

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: