11 setembro 2007

Música para o amor que não houve


















Deve ter acontecido com vocês. Pelo menos espero que me entendam..Porque é algo tão incômodo que fica difícil explicar, porque como se explica se apaixonar sozinho?
Quero dizer, entra alguém na sua vida, vive algumas coisas com você e sai ileso, como se não tivesse sido nada. Praticamente nada, acho.
Mas o fato é esse: no ano passado, me apaixonei sozinha. Ele entrou e saiu da minha vida e eu fiquei aqui, sem saber ao certo o que fazer com todo aquele sentimento gigantesco que ele simplesmente deixou pra lá.
Eu sei, eu sei...."se doer, eu sei que sara".
O que posso dizer pra quem ler é que ainda que essa pouca vida juntos - muito pouco, um quase nada - me marcou a ferro. Lembro com detalhes de cada pequeno sorriso, cada programa bobo, lembro.Porque ao menos tenho isso, tenho esssa história que não houve, tenho essa história que foi só um lampejo.
Me apaixonar de novo?
Nem pagando, nem por nada. Dói e não vale a pena.
E só digo que ele é tão lindo e tão doce que me aperta o peito só de pensar.

40 comentários:

  1. Belo texto Vivien!!
    Estamos por aqui também.
    Grande beijo e não deixe de se apaixonar NUNCA!!!
    Serjão

    ResponderExcluir
  2. Não diga isso, não. Vai se apaixonar, sim. E vai enfiar a cabeça no meio do tornado... E se sofrer? Faz parte. Não diga que não vai acontecer. Vai. Porque precisamos de carinho, afago, uns beijos... E, se acontecer, aproveite. Não existe amor de novela, mas podemos conquistar um relacionamento muito bom, sim!
    Levante a cabeça, siga sua vida e deixe acontecer o que tiver que aocntecer.
    Ou vai ser um caramujo e se esconder para o mundo? É isso? Fácil, baby.. Corte os cabelos bem curtos, compre calças largas, botinas, camisas, jogue fora batons, blusinhas de babados, saias, biquinis. Afinal, você não quer se sentir sexy, desejada, linda. Para que? Não quer conquistar ninguém. Dispa-se da vaidade e fique horrível...

    Mulheres.. huuummpppffff
    ( e publica se quiser!! hahahahahaha)

    Beijos, beijos, beijos
    (já sei! Mordi e assoprei!)

    ResponderExcluir
  3. não, não, a vida sem se apaixonar não tem dor mas também não tem graça. Pense no prazer enorme que você teve enquanto estava apaixonada - pobre dele se não sentiu nada tão bom quanto. Tem gente que não é capaz de se apaixonar e isso deve ser muito triste. Faço votos de que você não entre nesse clube deprê como anuncia no post, mas, pelo contrário, abra um sorrisão de 'como foi bom, quero de novo' e fique alerta pra pegar a próxima oportunidade que passar. Por quem ou pelo que não é o que mais importa, quanto tempo dura não é o que mais importa: sentir uma paixão em toda intensidade vale a vida!

    ResponderExcluir
  4. alexandre pinheiro6:01 PM

    é ... fogo!
    mas pior eu q tinha a capacidade de me apaixonar por quem nem me entrava vida adentro ...
    rs
    ainda bem q minha adolescencia passou, ontem, aos 34
    rs
    grande beijo

    ResponderExcluir
  5. Acho que a paixão é um pré-requisito para se viver, se não nos apaixonamos, não esperimentamos os mais variados sentidos que as coisas podem abranger, como você mesma disse: cada sorriso, olhar, programa bobo. Sem paixão tudo isso seria indiferente, talvez sucumbido pela memória, nossa salvadora em quedas tão devastadoras. Ao contrário do que você disse, eu espero sinceramente, que você se apaixone sempre, nem que se arrebente num primeiro instante, num segundo surgirá mais forte, mais preparada para viver tudo o que a vida pode te proporcionar.

    Como ninguém
    Ménage à Trois

    ResponderExcluir
  6. Serjão, que bacana te encontrar nessa blogosfera! Acho um barato ter blog amigos que se tornam amigos, mas amigos que se tornam blog amigos é um baraaaato.
    Quanto a me apaixonar, acho que deixo isso pros meus textos.;0)

    ResponderExcluir
  7. Sandra, quem disse que eu não quero conquistar?
    O que eu não quero é SER conquistada.;0)

    ResponderExcluir
  8. Urubua, "o poeta é um fingidor".;0)
    Adorei seu comentário, beijos.

    ResponderExcluir
  9. Alexandre, hahahah....sei como é.
    ;0)

    ResponderExcluir
  10. "Como ninguém", pode ser que vc tenha razão, que os outros amigos, com comentários tão bacanas tb tenham.
    Mas , sendo sincera mesmo, me parece que perdi essa qualidade, essa possibilidade, virei árvore oca?Sei lá, acho que sim.
    beijos e volto por lá, adorei o espaço de vcs.

    ResponderExcluir
  11. Vivinha,
    Adorei o post, sensível, interessante, gostoso de ler.
    Espero que encontre alguem que a mereça e a faça muito feliz. Alimente sua alma com sentimentos verdadeiros e eternos.
    Bjs
    Mamãe

    ResponderExcluir
  12. Poxa Vivien... senti a dor como se fosse minha. Você é batuta pra colocar por escritos sentimentos, hein!

    ResponderExcluir
  13. Mãe, os anjos escutam quando as mães pedem.;0)

    ResponderExcluir
  14. Cláudia, mas vc sou eu, lembra?;0)

    ResponderExcluir
  15. Vivien,

    Que música linda. Perfeita para a situação. Eu já passei por isso que você descreve. É doído, mas ao mesmo tempo é intenso. Sei lá, acaba tendo a sua beleza ,meio triste, mas tem. Olha, este post mexeu comigo, me fez lembrar de uma história exatamente assim. Mas não fale em não se apaixonar, nunca. Se apaixonar é muito bom! :) vou guardar o link da música para ouvir mais vezes! Beijos

    ResponderExcluir
  16. ah, vale a pena sim, só de saber que se viveu tudo aquilo que era tão pouco e foi tanto, vale sim. eu me apaixonei, bom, a que vou contar agora, e ele também, mas nós não tivemos coragem de mudar tudo apra viver essa paixão. alguém tinha que mudar de estado, de vida, e recuamos. mas nunca vou esquecer a sensação e é uma das poucas coisas que me arrependo, mas mesmo me arrependendo de não ter tido coragem, eu tive coragem de viver aqueles dias entre os melhores que vivi na minha vida. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  17. réplica seguindo por e-mail...

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Vivien, viva e deixe viver. O amor vem, independente de querermos ou não. Sempre vem.
    Beijo, menina

    ResponderExcluir
  19. Se foi sozinha, não foi amor. Espera o amor que não dóis assim não.

    ResponderExcluir
  20. Vivien,

    Amores (paixões) platônicos sempre fazem parte da nossa vida... não há como escapar! Dê um pulinho no Achados, e ouça uma canção do Djavan, que postei hoje. Acho que tem a ver.

    bjão,
    Clé

    ResponderExcluir
  21. Vivien, há quem diga que paixão é uma espécie de doença: afeta a gente física e psicologicamente, é incontrolável enquanto dura e tem prazo previsível para acabar. Só que tem uma característica estranha, diferente das doenças comuns: se o vetor da moléstia -- a outra pessoa -- se afasta, os sintomas, em vez de sumirem, se perpetuam.

    ResponderExcluir
  22. Marion, a música é de uma de minhas cantoras favoritas e uma amiga muito querida, o blog dela está aqui, dê um pulo lá, vai encontrar outras músicas incríveis.;0)
    Quanto a paixão....não sei.
    beijos.

    ResponderExcluir
  23. Pedrita, uma pena...eu sempre fico na torcida. Quem sabe...?
    beijos.

    ResponderExcluir
  24. Sandrinha, to indo ler.;0)

    ResponderExcluir
  25. Valter, a porta tem que estar aberta pra ele entrar.;0)Mas não é o caso, amigo.

    ResponderExcluir
  26. Andrea, amor sozinho não é amor? hum...interesssante questão.;0)

    ResponderExcluir
  27. Clé, sei não. Acho que dá pra ser proteger. Eu to me sentindo assim o ano todo.;0)
    Não significa que não vou me relacionar ...significa que não vou me apaixonar.beijos.

    ResponderExcluir
  28. Jayme, um post dentro do post. Adorei.;0)

    ResponderExcluir
  29. Vale a pena sim.
    Vai se apaixonar sim!
    Vai sim!
    Porque você não morreu! Tá aí, lindona, cheia de paixão e delicia.
    Vai sim!

    ResponderExcluir
  30. Ah, môbem... No coração não se manda...

    ResponderExcluir
  31. Vivien,
    Acho que vou ser diferente da maioria aí em cima. É claro que já me apaixonei várias vezes e lembro com certa emoção dessas paixões. Considero, porém, que a paixão é uma doença incômoda. Como tudo que me deixa menos racional me assusta. É mais ou menos como uma droga. Você viaja, vê o mundo colorido, depois vem a ressaca. Quando se tem sorte, a paixão passa e estamos ainda ao lado da mesma pessoa amada, é que a coisa fica boa. Vem o amor maduro, consciente, sem os arroubos que a paixão tem. Tudo isso, porém, é teoria. Na prática, não dá pra fechar o coração. Pena...
    Beijo

    ResponderExcluir
  32. Vivien

    Quisera saber escrever bem pra dizer, em outras palavras, tudo que já disseram. Todos têm razão. Segue tua vida que um dia vais achar teu 'pé de chinelo'.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  33. Vivien, peço desculpas por dizer isso, mas se você está sentindo dor é porque ainda está apaixonada.

    Vou ver se encontro um poema que escrevi numa situação assim.

    Um grande beijinho!

    ResponderExcluir
  34. Ai! Essa coisa não publica!

    ResponderExcluir
  35. Sobreviver
    Carmencita

    Sobre viver neste tempo sei apenas o que sinto,
    com palavras caladas derretendo sobre a língua.

    A voz muda reverbera em seu torpor de absinto
    num descontrole ritmado que desata minha míngua.

    Sobre viver de restos como mirrado cão faminto,
    esperando a mão que alcança, mas não acalenta,
    permaneço com cegueira e avidez - não te minto -
    a ocultar a tua vã ausência que só aumenta.

    Sobre viver em busca de amparo e reconforto,
    embarco num mar de açoites pondo-me à deriva,
    esperando alcançar os braços de um outro porto
    e que de alentos até novos dias sobreviva.

    ResponderExcluir
  36. Descansa
    Carmencita

    Conta-me a tua história
    que o teu silêncio esconde
    num limbo da tua memória
    e te faz vagar não sei onde.

    Se o teu tempo se esgota,
    e se mais um fardo parece
    que toda tua alma lota:
    recosta-te já e esquece!

    Não quero roubar teu segredo
    e nem quero ser inimigo.
    Não compreendo o teu medo,
    mas não condeno e não digo.

    Faz a tua sina mais mansa.
    Diz tua sorte e descansa!

    ResponderExcluir
  37. Lord, pois é. Essa coisa da ressaca é algo que quero tirar da minha vida.Será mesmo que não dá pra controlar..? Vou testar.;0)

    ResponderExcluir
  38. Carmencita, não estou, acho que não estou.
    Não estou...?

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: