02 março 2008

Sister!!!

Eu tinha colocado um post antes desse,mas resolvi retirá-lo por hora.Eu estava dando uma das minhas passeadas bloguísticas e vi a Luma postando sobre ser mulher,gostar de ser mulher,esses papos bacanas. Fiquei pensando em tantos trabalhos interessantes na historiogrfia estão sendo feitos no sentido de dar mais visibilidade para a mulher dentro da História.Apesar de tantos sub-divisões(que mulher?qual mulher?),tantas divergências,porque afinal,as mulheres não são um bloco homogêneo.Seria reducionismo falar dessa forma. Pelo contrário,somos diversas,conflitantes,discordantes. Nesse caso,não me advogo o direito de falar sobre "a mulher".Vou falar sobre o universo feminino do qual faço parte,das mulheres do meu convívio. Nada me irrita mais do que ouvir frases no sentido de desqualificar a amizade feminina em prol de uma suposta maior sinceridade dentro dos círculos masculinos. Quando ouço isso - NUNCA de minhas amigas,aliás - sempre digo que essas pessoas precisam escolher melhor as pessoas de suas relações ou melhorar a si mesmas,pois sua ótica pode ser distorcida.Uma amiga professora sempre repetia que o "seu ponto de vista é o ponto onde sua vista alcança".Pois é,meus queridos. Tendo em vista que falarei das pessoas do meu convívio basicamente,afirmo e levanto a bandeira,existe uma cumplicidade entre as mulheres,uma coisa de Moiras,de bruxas,uma coisa de poder feminino que é incrível. Acho que mulher é meio bruxa e isso no sentido mais visceral,poderoso,feminino e bonito da palavra.Os que tem visual preconceituosa em relação ao termo,que me perdoem,mas não vou ficar aqui explicando não.Saia por ai afora catando outras interpretações para essa expressão que sejam diferentes da imagem da velha má com verruga no nariz. Basta pensar em quantas mulheres foram torturadas e mortas sob a acusação de bruxaria,apenas por terem um conhecimento de ervas e outros tratamentos,livrando as pessoas dos antigos médicos e seus aventais cheios de sangue (um símbolo de status,durnte muitas décadas),apresentando uma outra cultura,ameaçadora,feminina. Em termos historiográficos,como já disse aqui,a figura das mulheres está cada vez mais presente,seja para quebrar paradigmas ( sorry,mas os clichês às vezes são necessários...),seja para discutir algo visto por outro ângulo,seja para descobrir histórias não contadas. Como eu disse na Luma,me lembro da fala de um dos conselheiros de Luiz XVI,quando os portões do palácio eram balançados por uma multidão ensandecida e rebelde:"não se abre portões a revoltosos,muito menos a revoltosas". Assim,derrubando os portões,queimando soutiens,participando de greves,as mulheres conquistaram elementos impensáveis até pouco tempo. Pois é... E quem quiser,que poste também.Vamos lá,sisters.

16 comentários:

  1. Anônimo10:12 AM

    É nóis!!!

    bjs
    Frou

    :o)

    ResponderExcluir
  2. sandrinha11:25 AM

    que bacana! vou dar uma olha no blg da Luma tb... beijos

    ResponderExcluir
  3. E, mesmo assumindo várias funções, em postos de trabalhos especilizados, diretorias de grandes empresas, ainda somos discriminadas, humilhadas, estupradas e espancadas.

    Mundo injusto. Deixamos, há muito tempo, a pecha de "sexo frágil" e, mesmo assim, sofremos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. A diversidade é surpresa mas não nos conquista, há de ter em tudo isso um ponto em que os pensamentos se encontram e dele resultem outros pensamentos que ajudem na construção do ser humano.
    Vivien arrepiei ao assistir ao vídeo, porque é esse o caminho. Não podemos olhar o futuro como se não existisse o passado. Aquelas mulheres maravilhosas que nos abriram espaço, agora descansam em paz, vendo tantas mulheres jogando os seus esforços no lixo?
    Acho legal esse internetitez - tête à tête - entre os blogues! Ah, os meninos fugiram lá do luz! Os poucos que ficaram ganharam o meu conceito! Tenho certeza que muitos não leram o texto até o final, como não o farão hoje; que postei novamente sobre o assunto. Alguém comentou "papo de luluzinha" - infelizmente ainda existe um ranço - não somos feministas e muito menos pregamos o feminismo, não somos mulherzinhas, somos mulheres!
    Obrigada pela citação! É muito bom conversar! Beijus

    ResponderExcluir
  5. E lá vai nossa Vivien... Na questão mulher, aliás você e a Luma se expressam com conhecimento de causa, não vou então dar palpites à respeito... Mas uma coisa que foi notícia neste final de semana que as mulheres devem ter x por cento de vagas nos cargos públicos. Prá mim, isso é outro golpe tipo racismo. As mulheres vem à tofo gás ocupando seu espaço e não precisam das chamadas esmolas, não. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ao menos ainda é melhor ser do tamanho do que se vê do que do tamanho da própria altura. Vou pensar umas mulherices tb. Bjs

    ResponderExcluir
  7. Sandrinha,vai lá,e entra na postagem tb.;0)

    ResponderExcluir
  8. Sandra,ainda há muito pra se fazer,porém creio que lei como a Maria da Penha sejam um caminho para combater tudo isso.;0)

    ResponderExcluir
  9. Belle,tb acho.
    Mas só o fato de poder gerar filhos já vale a pena.;0)
    Uma aluna dizia algo mais ou menos assim "fazemos tudo o que os homens fazem e de salto alto".;0)

    ResponderExcluir
  10. Luma,se sumiram,não vale nem a pena continuar a conversar,certo? Pior coisa é homem medroso,avemaria.
    Tb adoro o vídeo,acho que captou mesmo o espírito da coisa.
    Volte sempre.;0)

    ResponderExcluir
  11. Ronald,eu tb tenho reservas quanto a essa questão de garantir espaço através de leis,em casos como esse.
    Mesmo porque,já somos maioria nas universidades e o crescimento de mulheres em cargos de comando subiu enormemente.;0)

    ResponderExcluir
  12. Vivinha,
    Tenho orgulho das mulheres da nossa familia, fortes, decididas, determinadas,competentes,seguras, talentosas, batalhadoras. Tudo isso sem perder a condição feminina
    nas atitudes e comportamento.
    E ser mãe é o ponto alto e glorioso de ser mulher.
    E vc faz parte desse rol.
    Bjs
    Mamãe

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: