04 abril 2008

Circo de horrores ou a festa sobre Isabella
















Não é novidade para ninguém que parte da humanidade tem uma necessidade de conviver com o horror,com a violência,em um êxtase sádico asqueroso.Não foram poucos os que berraram para gladiadores no Coliseu,nem tampouco os que foram assistir aos espetáculos de decapitação do período do terror francês.Muitos outros elementos estão envolvidos nisso,claro,eu sei.Mas uma boa dose de curiosidade mórbida também.
Basta ver onde se formam filas quilométricas quando a Unicamp abre suas portas...o quê? você ainda tem dúvida?Sim,formam-se filas mastrodônticas na anatomia,isso mesmo,pra ver corpos.
Também não é novidade para ninguém que parte da imprensa vive dessa curiosidade,alimentando-a calorosamente.
Mas os fatos recentes,ainda que eu saiba de tudo isso,me chocaram.
Estou falando da menina Isabella,que morreu na queda de seis andares,na cidade de São Paulo.
Eu não sei quem foi,a polícia também não,a investigação ainda está aberta.
Mas parte da imprensa já julgou,já condenou e faz um circo aterrorizante,incitando as pessoas ao ódio.
Ontem eu vi uma emissora que ficou HORAS discutindo esse assunto,ou melhor,concluindo com uma autoridade dada sei lá por quem,que o pai seria o assassino.
Pode ser,não sei.Mas o fato é que a condenação dessa pessoa de forma precipitada pode fazer reviver - como lembrou a Frou ontem - o caso da Escola Base,onde os donos foram acusados e perseguidos pela imprensa por uma suposta agressão sexual dos alunos.
Apesar de provada sua incocência,hoje em dia estão arrasados,sem dinheiro,sem respeito,sem saúde.Sua vida foi para o lixo.
A polícia,querendo mostrar serviço a população,já acusava o pai nas primeiras horas:acharam um fulano dentro de uma situação realmente confusa e parecem querer provar sua competência.
Fiquei pasma,eles deduziram que o corte da rede protetora foi feito com uma tesoura e - pasme,leitor - acharam uma tesoura na casa.Oh!!! algo absolutamente fora do normal,certo? afinal ninguém tem tesoura em casa? você tem??? que horror,pode ter sido você.
Por algum motivo que não entendi,os jornalistas chamam a mãe de "mãe biológica".
OU eu fiquei louca ou não entendo nada:"mãe biológica" não é a forma de tratamento da mãe que apenas pariu enquanto outra criou?
Esse não é o caso,a menina era criada e morava com a mãe.
As mães leitoras daqui da Casa já deixaram recado na escola dos filhos dizendo "olá,aqui é a mãe biológica do fulano"?Ora,pipocas.
Alguém ouviu uma criança falar "pára,pai" e isso virou manchete.Eu estou falando sério.Um vizinho pode localizar com tanta perfeição de onde veio essa frase?
Uma vizinha do prédio da frente viu o casal chegando juntos.Ela usava binóculos?
Um jornalista(!) com cara de "saquei tudo,crianças,me ouçam e aprendam",ficou horas ontem,instigando a população a ver o pai como assassino.
Vários desocupados deixaram seus - aparentemente poucos - afazeres para ficarem do lado de fora da delegacia,fofocando.
Que medo dessa gente.
Nos primeiros momentos,a mãe da menina disse que duvidava de uma suposta culpa do pai,por perceber o carinho e amor com que ele sempre tratou a menina.
Essa mãe ficou três horas e meia trancada com uma delegada,na saída,disse que queria que a "justiça fosse feita".
Uma mãe que acabou de perder a filha de forma brutal,seria alguém perfeitamente influenciável,não seria?
Presos e separados,a madrasta e o pai estão na mira dessa imprensa mórbida,onde poucos dão sinal de lucidez - como fez Alexandre Machado,hoje de manhã,lembrando inclusive,da Escola Base - e outros prometem a população sedenta de sangue:"separados,eles entram em contradição..."
Claro que sim,podem até se acusar,inclusive.Essa técnica já colocou mãe contra filho,avô contra neto.
Torquemada que o diga.

32 comentários:

  1. É, minha amiga, o circo realmente já foi armado. Culpados ou não, o pai e a mulher já foram julgados pela opinião pública. Realmente dá medo por essa sede de vingança que não abre espaço para a discussão, a exposição dos fatos. É encontrar a resposta no evidente, ainda que um dia se saiba que não era a resposta certa. Mas até lá muta já foi discutido em vão, imagens foram manchadas, memórias foram invadidas. Antes que o povo tenha que se explicar e pedir desculpas aos que foram injustamente crucificados, um novo caso toma a mídia e começa tudo de novo. Mas como no caso da Escola Base, como fica continuar seguindo com a vida depois disso?
    A gente reza para que Deus nos livre de sofrer ou ter alguém da família que sofra uma violência dessas, mas preciso me lembrar também de rezar para nunca ter meu nome ou o de alguém que eu conheça envolvido em um escândalo. Não imagino onde, além da Fé em Deus, se consiga estrutura para passar são por tudo isso.

    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. VIVIEN


    Concordo plenamente com vc. Sua opiniao e muita sensata!
    parabens!

    ResponderExcluir
  4. Vivien,
    muito bom o teu post. E para complementar:
    http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=479IMQ005
    Um bom final de semana,
    beijo, menina

    ResponderExcluir
  5. Alek,a leviandade com que o caso foi tratado,o sensacionalismo de alguns jornalistas de quinta me enojam.
    beijos.

    ResponderExcluir
  6. Elisabete,acho que em casos assim,evidentemente os culpados devem ser presos.Mas condenar de antemão,SEM O TÉRMINO do processo...é assustador.
    beijos.

    ResponderExcluir
  7. Valter,to indo lá.Sendo dica sua,com certeza vale a pena.
    beijos.

    ResponderExcluir
  8. Vivien você tem razão, essa morbidez assusta.
    O povo ouviu o gala cantar, não sabe onde, mas já sabe que a galinha botou.
    Como em tantos outros casos de julgamentos precipitados, depois colocam o rabinho entre as pernas, e tudo bem.
    Mas o estrago já foi feito.
    Se são inocentes, imagine a dor da perda, e mais isso. Ninguém merece.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  9. Era o que eu estava pensando. Primeiro a polícia tem que investigar, né não? Mas não, é mais legal seguir de helicóptero, dizer hora e local em que vai haver transferência de prisão, pra ver se junta bastante gente.

    ResponderExcluir
  10. **Aninha,essa precipitação é leviana demais.beijos.



    **Menina Eva ( bom te ver por aqui de novo!),a fogueira vende jornal,esse é o nó.
    beijos.

    ResponderExcluir
  11. Vivinha,
    Sei que a imprensa é sensacionalista, o único interesse
    é financeiro, e que manipula a opinião pública, tem toda razão. Sei tb que o povo é sádico, curioso
    e móbido, mas o caso é chocante e o casal até agora não apresentou uma defesa confiável.É dificil não pré-julgar neste caso. Não condenei
    o casal, mas para mim, são fortes suspeitos,isto são.
    Bjs
    Mamãe

    ResponderExcluir
  12. Mãe,o inegável poder a imprensa,o "quarto poder",como sempre repetia Lima Barreto,não pode ser irresponsável.
    beijos.

    ResponderExcluir
  13. Vivien, é onde se vê realmente que jornalista pode até se formar na Escola, mas se faz é à base de bom-senso, reflexão e responsabilidade.
    Vivien, vou decretar um feriado só pra mim, pra ler ese blog fantástico que você faz.
    Ah e vou adicionar a sua Mammy também que conheço já lá do nosso Lord.
    Beijos, querida
    Meg

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Meg,acho que alguns produzem esse tipo de reportagem por ignorância,outros por esperteza,outros por burrice pura e simples.
    Obrigada novamente,beijos

    ResponderExcluir
  16. Ué, cadê o post da gata preta?! O.o Eu ia sugerir Billie Holiday! \o/

    ResponderExcluir
  17. Trotta,está guardado ainda...risos...isso é o que dá contar o que a gente escreve pra amigo blogueiro...;0)
    Vou publicar na terça,mas a sua idéia é oteeeema.
    beijos.

    ResponderExcluir
  18. Adelino8:34 AM

    Vivien, não creio que houve precipitação da imprensa. Ela apenas informou. Não julgou. E como a maioria dos meios de comunicação informou a mesma coisa, o leitor tira logo as suas conclusões.
    A MARIA HELENA tem razão.

    Não sou muito de ler esse tipo de notícia, mas este foi muito estranho. De início, o que me intrigou foi o fato de o pai ter subido com a criança, colocado-a em seu dormitório, e descido para subir com o restante da família.
    Por que isso? E as manchas nas paredes, no elevador, no carrinho do bebê? Não estou dizendo que ele seja o culpado, mas são fatos estranhos. Além do mais, Vivien, o ser humano é capaz é capaz de tudo. Por favor, não estou pre-julgando, mas lembra-se da expressão daquele ator que assassinou a filha da Glória Perez? Quem diria que ali estivesse o réu?
    A imprensa está fazendo o seu papel de informar os fatos, e cabe a cada um formar o seu juízo.
    Beijos, e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  19. pobre menina!

    em tempo: ridícula a dedução da tesoura, aff...........

    beijos, querida

    MM.

    ps: jura que fazem fila para ver corpos? eu pagava para não asisstir as aulas de anatomia na PUCCAMP quando tinha essa matéria, eu, hein....

    ResponderExcluir
  20. Vivien
    Vim agradecer tua visita, volto outra hora com mais calma pra ler teu post.
    Bjim.

    ResponderExcluir
  21. ***Adelino,uma emissora ficou horas falando sobre isso,a fala deles era não só de julgamento e condenação,mas tb havia muito empenho em insuflar a população.
    O Walter deixou um link interessante que vai ao encontro dessa argumentação.
    O papel da imprensa é informar,se fossem meus alunos, teriam que refazer várias vezes aqueles textos...
    beijos.


    *** Mônica,eu ficava abismada com aquilo,mas era assim mesmo,beijos.


    ***Rosamaria,a casa é sempre sua!
    beijos.

    ResponderExcluir
  22. Adelino12:38 PM

    Vivien, complementando o que eu disse: tudo o que a imprensa noticiou no começo do "affair" está sendo repetido agora pelos meios de comunicação aparentemente mais confiáveis, só que com mais detalhes. Eu penso assim, a não ser que não tenha entendido a crítica feita à mídia informativa.
    Abraços

    ResponderExcluir
  23. Adelino12:48 PM

    Vivien, minhas desculpas, mas por hábito não vejo essas emissoras.
    Acho que todos estamos de acordo. Jogar a opinião´pública contra pessoas ainda apenas suspeitas de ter cometido um crime, não é norma de uma boa imprensa.
    Beijos, e ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
  24. Nossa, o pessoal realmente quer ver mesmo é ver o circo pegar fogo. Sem saber o que acontece depois.
    Aqui em Médici a fila se formou no velório para ver o homem que morreu esfaqueado! Affff.

    ResponderExcluir
  25. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  26. ***Adelino,vi jornalistas super sérios criticando essa postura de grande parte da imprensa,isso sempre me angustia.
    Claro que um crime assim é revoltante,assustador:mas a condenação leviana tb o é.
    beijão pra vc.

    *** Flávia,essa morbidez é aterrorizante.
    Volte sempre,beijos.

    ResponderExcluir
  27. No meio de tantos intere$$es, a informação confiável poderia ser a nossa saída!

    Acho que a Internet pode ser valiosa, neste sentido!

    Adorei teu post!

    ResponderExcluir
  28. Ana,acho que o interesse em "vender notícias" podem causar espetáculos como esse.
    beijos.

    ResponderExcluir
  29. Vivien. Eu, tanto no blog como no Coletiva.net, como jornalista me manifestei lembrando a lista de injustiças já cometidas pelas midias em nome da liberdade de informação (que a gente sabe, está regulada é pela capacidade de gerar leitores, ouvintes, telespctadores etc etc e, por via indireta, anunciantes para os veículos) e acho que isso não vai mudar. Vai piorar. Porque se dá o que o povo (???) quer, este circo medonho. Um círculo vicioso sem fim

    ResponderExcluir
  30. Maristela,talvez com as pessoas se manifestando contra esse círculo nojento,as coisas possam,pelo menos,tem um pouco mais de ética.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  31. Muito bem, mae biologica do Daniel... kkkk

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: