05 outubro 2011

O gato que dorme comigo






Eu sei muito bem o que vocês pensaram ao ler esse título à lá imprensa marrom. Eu sei, vocês queriam saber cá das minhas intimidades, heim? Confessem, confessem.
Mas o gato que dorme comigo é um felino mesmo. Um gatão preto e manhoso chamado de Malcom X, por quem minha cachorrinha, a Renildes, morre de amores desde sempre.
Ele me ama. Me espera chegar, vai ao meu encontro e rola no chão, com miadinhos. Dorme da minha cama e nos finais de semana, onde durmo até mais tarde, ele permanece ali, só levantando quando eu decido fazer isso.
Malcom sofreu um sério acidente esse ano, foi atropelado, quebrou a perna, a mandíbula, estava uma poça de sangue quando eu o peguei no colo e levei, chorando como uma louca, até uma clínica.
Operado, tomou soro e ia capenguinha para o canto, querendo um carinho, quando eu ia visitá-lo. Quando o trouxe para casa, ficou com o colar elisabetano - aquele que parece um abajour - sem poder mastigar ou andar, comendo papinha.
Ficou tão triste, sujinho, porque não podia fazer sua rotina de limpeza diária. Ronronou todo reconfortado, quando eu o limpei, se recuperou bem e, se gostava de mim antes, agora me ama.
Fica o tempo que é possível no colo, e eu adoro, como sempre adorei os muitos gatos que tive na vida: Moneda quando ainda morava no Rio, Gueixa quando me mudei pra Campinas, Intrusa e Sookie, respectivamente avó e mãe do Malcom X. Adorei todos.
Talvez porque, como me disse um de meus escritores favoritos, Eustáquio Gomes, " se tenho gato no nome, hei de ter algo de gato na alma".
Miau.


***post publicado originalmente em setembro de 2008.

26 comentários:

  1. Ah, minha linda, te entendo perfeitamente, eu amo gatos! Atualmente estou com 3, mas sempre que vejo um me apaixono e tenho vontade de levar para casa. Nessa leva, a primeira é uma siamesa que fará 11 anos, gorda e gostosa, a Jeanie. É mais apega com a minha irmã, morre de saudade dela, mas dorme comigo todos os dias. A minha é uma sem raça definida, minha "misturinha", Atena, que ganhei de um ex. Esse final de semana fomos vaciná-los e ela, já pressentindo, desceu a patinha no meu rosto. Cheguei no posto com uns quatro pontos sangrando no rosto.É brava que só vendo, mas a amo, do jeitinho que é.
    O último e mais novinho é o Dom. Foi encontrando rodando o meu prédio e vieram entregar em casa, achando que era a nossa siamesa. Deve ter uns 2 anos, mas é um bebê. Manhoso, sem-vergonha, bagunceiro, mas é apaixonante. Já dominou a casa desde o primeiro dia. No segundo dia, passeando debaixo do prédio, sumiu. Eu entrei em pânico. Tomo mundo procurando até que se ouve um miado abafadinho: se escondeu dentro do motor de um dos carros estacionados. Eu chorava tanto, mas tanto! Minha irmã disse que até meu pai, que é todo durão, segurava umas duas lágrimas. Há algumas semana ele teve conjuntivite, e lá vai essa mãe desesperada acionar todo mundo, levar para o médico, dar remédio... São meus filhos, a alegria da casa.

    Que dó profunda me deu do Malcom, me doeu como se fosse em um dos meus. Ainda bem que ele já está bem, e conta com uma mãe que o ama. Ronrons agradecidos!

    Beijo grande, minha querida!

    ResponderExcluir
  2. miauuuuuuuuuuu

    Vivien

    Bom te encontrar novamente!

    Meu link mudou:

    elisabetecunha2008.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. O, Vivien!

    Eu estou me recuperando de uma cirurgia no braço e o outro já está incomodando, então tenho acompanhado os blogs pelo Google Reader. Como não aparecias há tempos, vim aqui deixar um abraço.
    Bjim.

    ResponderExcluir
  4. ***Alek, adorei ler suas histórias de gatos. E dentro do motor, isso lá é lugar? Acho que gato faz como filho, deixa a gente meio biruta às vezes...rs
    beijos pra vc.

    ***Elizabeth, logo apareço por lá, beijocas.

    ***Rosa, espero que vc esteja bem, estive um pouco ausente, mas "eu voltei agora pra ficar..."..rs
    beijos.

    ResponderExcluir
  5. Vivinha,
    graaaande Eustáquio Gomes, sabe das coisas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. sandrinha9:46 AM

    Lindo este amor!Eu nao gosto de gatos, quando eu era criança os gatos dos vizinhos sempre entravam no meu quarto e sujavam tudo. fiquem com mais raiva deles foi quando uma gatinha resolveu ter seus filhotes no meu tapete branco e no guarda-roupa.

    ResponderExcluir
  7. ***Mãe, eu tb acho! beijos.

    ***Sandrinha, tapete branco pra parto de gata...rs...hum, entendo que vc implique com eles. beijos.

    ResponderExcluir
  8. Gosto de animais, gosto muito de gatos mas prefiro cães. Acho-os mais ativos, mas acho que gosto mesmo é da dependência deles.

    ResponderExcluir
  9. sandrinha4:13 PM

    indiquei vc no meu blog, dê uma olhadinha lá! beijos

    sandrinhamachado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Allan, eu descobri o amor canino com minha cachorrinha, entendo vc, é maravilhoso.
    beijos.

    ResponderExcluir
  11. Sandrinha, oba..! to indo lá.
    beijos.

    ResponderExcluir
  12. Vivien querida, já estava sentindo sua falta.
    Toda vez que chegava aqui, encontrava as portas quase fechadas.
    Gato?
    Bom amá-los, embora eu queira uma certa distância dos mesmos.
    Não me apaixono por eles. Mas, claro, respeito o seu e o amor de muita gente.
    Beijo meu bem.

    ResponderExcluir
  13. ***Aninha, tb senti falta da minha casa.;0) Agora estou de volta e espero que a casa continue sendo dos amigos.;0)

    ***Valter, beijocas.;0)

    ResponderExcluir
  14. Vivien, quem gosta de animais, "segundo os livros", não tem maldade no coração. É verdade sim, eu acho.
    Um beijo. Ótima semana.

    ResponderExcluir
  15. Ter um bichinho em casa é tudo de bom! Falando nisso, há uma bolinha de pelos dormindo aqui na cama...rsss

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. ***Adelino, acho que em geral é assim, mas outro dia me disseram "Lembra que Hitler adorava sua cachorra??"..ops...
    Mas acredito que, em geral, quem se apega a animais tende a ser uma pessoa que me agrada mais.
    beijão.

    ***Sandra, fica uma bolinha mesmo!!!...rs beijocas.

    ResponderExcluir
  17. que fofo Vi, ainda nao tenho bichinhos em casa porque todas sao alergicas a tudo e a pediatra pediu para esperar, mas que a gente se apega...isso é amor mesmo!
    beijinhos querida!

    ResponderExcluir
  18. ***Soraia, infelizmente meu gatinho morreu.;0(
    Eu ainda tenho dois - pretos como ele, um irmão e um sobrinho de Malcolm...rs- mas não poderei ficar com eles, por conta do perigo de contaminação.Mas consegui que eles fossem para uma chácara onde, espero, serão felizes.;0)

    ResponderExcluir
  19. Embora não seja chegado a gatos, compreendo e admiro o seu amor por um animal.
    bj

    ResponderExcluir
  20. ***Julio, terei que passar sem eles agora.;0(

    ResponderExcluir
  21. Olá Vivien, já tive gatinho e hoje tenho uma cachorrinha que não larga do meu pé...é minha sombra...que bem traz esses bichinhos à nossa vida, não? Bjo grande:}

    ResponderExcluir
  22. Espero que ele ainda lhe faça companhia,depois desses quase 4 anos. Miau.
    :)

    ResponderExcluir
  23. ***Cris, tenho uma cachorrinha que amoooo.;0)

    ***Allan, infelizmente ele já morreu.;0(

    ResponderExcluir
  24. Vivien
    Eu também amo gatos e lembro-me como se fosse hoje o dia em que meu Michel apareceu com o bracinho quebrado. Sofri mais do que ele, que precisou ficar "de molho" por quase 30 dias devido ao gesso! Hoje Michel mora em outro plano, mas tenho outros "donos" que me dão inúmeras alegrias!! Impossível perceber que aqueles doces olhinhos estão te observando e não querer agarrar!
    Um super beijo!
    Débora Santos - www.dicasdecoaching.blogspot.com

    ResponderExcluir
  25. Que saudades minha flor! Já estou em Muriqui e agora com internet. Estava com saudades. Aqui em Muriqui sou mãe de cinco gatos de rua. Dou leitinho e ração todo dia. Quando estão doentinhos aparecem no meu quintal, o que é um perigo pois tenho quatro cães que não gostam deles. Bom feriado. Fique bem. Muitos beijinhos.

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: