15 outubro 2011

Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz

Como toda sexta feira fiz os exames cedo no Hospital do Rim, depois voltei ao ambulatório pós transplante pra consulta. Voltei à tarde pois minha consulta foi às cinco. Eu sempre marco esse horário porque dá tempo de voltar para o apartamento do meu irmão e descansar. No meu caso isso significa me jogar naquela cama maravilhosa dele, com aquele travesseiro incrível e dormir, já que geralmente fico a noite toda vendo filmes. Tempos de loucura, vocês sabem.
Antes da consulta, por vezes converso com outro transplantado: perguntamos quanto tempo temos de cirurgia, quanto está nossa creatinina, se fizemos diálise, esses papos estranhos.
Nessa sexta, conversando com uma moça e um outro paciente, lembrei:
- Ah, você transplantou um dia depois de mim....lembro de você, a gente já se viu de camisola de hospital por ai...
- (rindo) ah, é....eu lembrei: aquele dia da ecografia, né?
- isso,...blá..blá...blá...
Fiquei sabendo que ele teve doador cadáver ( essa expressão dá aflição no começo, mas depois a gente acostuma) e que o "rim irmão" ( ou seja, o outro rim do doador falecido) foi para um médico. Tanto a moça quanto ele danaram a falar do tal médico, rindo muito. Parece que o médico era cirurgião e deu o maior barraco na sala preparatória e na própria sala de cirurgia, gritou, praguejou, fez o diabo.
Pelo que entendi, todo mundo ficou conhecendo o tal cirugião-que-virou-paciente, por conta dos escândalos. Surtos mil, gente, afinal, mudar de lugar não é simples. Passar de "quem corta" pra "quem é cortado" deve ser uma tarefa enlouquecedora.
Porque ele conhece rotineiramente o que acontece com os pacientes na sala de cirurgia, ele sabe como são tratados quando estão desacordados e deve ter suas reservas. Eu não sei, e nesse caso, a ignorância é uma benção, só sei que colocaram um outro órgão em mim e ele funciona bem, ponto.
O rapaz contou que a filha do médico ia chamá-lo todo dia, porque o tal médico-e-o-monstro queria vê-lo.
Esses casos, de pessoas que se afeiçoam aos que receberam o "rim irmão", são rotineiras. Eu vi que as pessoas estabelecem uma ligação intensa. Eu disse sempre gente, é tudo muito doido.
Falamos da nossas diferentes maneiras de lidar com a questão do novo órgão e , como sempre, surgiu a questão da fé. Sempre que converso com alguém, duas coisas pintam, falamos sobre transplantados longevos e falamos de fé. Nunca encontrei ninguém que não fosse imensamente grato por essa chance, no caso dos transplantados que estavam em diálise, gratos pela liberdade.
Vejam meu caso: nunca fiz diálise, graças a Deus, coisa que tinha pavor, não fiquei na fila, ganhei um rim de um irmão que amo muito e tô aqui, lindaloiraejaponesa, feliz da vida.
Ah, sem esquecer do melhor da prosa: nós três tivemos companheiros de quarto malucos. Tropeçamos com pessoas que adoravam contar desgraça. A moça contou que ficou com uma velhinha que dizia pra ela que ainda ia doer muiiiito, que ela nem ia aguentar e que sei lá quem tinha morrido. A gente gargalhava com ela imitando a velha sacana e contando como fazia pra dar uma egípcia na doida.
Mas isso é fato: tem uma turba doida lá dentro que adora contar desgraças, com minúcias. Agora, eu francamente não entendo como alguém pode querer entrar nessa vibe de desgraça. Porque estando ali no hospital, de camisola, costurado, com dor, a gente só quer saber e pensar em coisas boas. A gente só quer curtir a fé.
E não é que tem pessoas que estão em outra via? Olhando o mundo e vendo tudo negativo.
Ah, sai pra lá, #melargamesolta, por favor.
Gente, gente, estou dizendo pra vocês, de perto ninguém é normal, Caetano foi um mestre ao sacar isso.


29 comentários:

  1. Vivien! Eu já disse sem medo de repetir: Você escreve muuuito bem! E com a experiência que você teve, aqui vai uma ideia: escreva um livro! Iria ajudar a quem passa por experiências similares e com certeza ia ser daqueles que você não consegue largar!

    Também não entendo gente negativa! Tenho vontade de sair correndo!

    Bjs!
    Ia

    ResponderExcluir
  2. De perto ninguém é normal mesmo, e quando vc tem certeza que já trocou de pele e encarnou todas essas neuroses...já foi pra baixo, negativa, eufórica, de bem com a vida, romântica, séria, sensível, debochada...ou se você pensar que tem pessoas que despertam mais isso ou aquilo na gente, é de pirar a canequinha! Vida louca essa nossa, fiquei cerca de dois anos em clima de hospital a alguns anos atrás, Vivi. É engraçado como a gente se acostuma com certas coisas...bjo e lindo domingo por aí, com Caetano?:}

    ResponderExcluir
  3. ***Ia, um dia junto umas crônicas daqui e publico, só pelo prazer de ver meu nome na capa.;0)
    E quanto aos doidos negativos, corro deles.
    Beijos.

    ***Cris, adorei essa metáfora e, sim, acho que trocamos de pele muitas vezes e isso é crucial pra nossa saúde mental.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Boa noite querida, fico muito feliz por vc. É muito bom te encontrar tão alegre e bem. Fé é muito importante. Boa semana. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Adorei teu texto, emocionante mas escrito de uma forma leve que nos leva para um mundo que desconhecemos e as necessidades fazem a hora e nós no aperto, somos patéticos muitas vezes e com mais conhecimento, tememos mais, incrivel somos atrapalhados mesmo, adoro essa música do Gonzaguinha, beijos, uma boa semana, Vivien.

    ResponderExcluir
  6. ***Eva, a vida vai surpreendendo a gente ....e a gente vai surpreendendo as vida.

    ResponderExcluir
  7. ***Glória, o negócio é ter fé.;0)

    ResponderExcluir
  8. Vivien, como você está? Espero que cada dia melhor.
    Adorei o lindaloiraejaponesa rs. Até nos momentos delicados você é super alto astral. Aliás, você é japa? Se for, vai entrar para minha fila de preferências japas. Quero ver foto.
    Se cuida e fique com Deus.
    Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  9. ***Querida, não sou japa, mas adoro essa cultura.;0) Essa expressão eu uso normalmente, pra dizer algo tipo...completa...rs

    beijos.

    ResponderExcluir
  10. I found your blog and I liked it very much!! It is very nice!! Best regards from Greece!!

    ResponderExcluir
  11. Vivien,

    Você é realmente abençoada, pois ganhou o rim de um irmão muito amado. Vocês partilharam entre si, isso é lindo.
    Muda o rumo da prosa, dá próxima vez, risos. Não deixe esses papos tipo deprê, aconteçam. Você é cabeça aberta, e não se contamina, mas muitas pessoas, não têm estrutura pra passar por essas situações.
    É isso aí, lindaloiraejaponesa.kkkk E eu custei a entender..sou meia lenta com essas coisas de palavras juntas..kkkk
    Deixo um grande abraço.

    ResponderExcluir
  12. Li o texto inteiro esperando você contar o "vexame" da primeira frase. Reli e descobri que era "exames". Reli tudo de novo. Se um dia for parar de novo em um hospital e encontrar com a velhinha lúgubre, jogo ela pela janela.
    :)

    ResponderExcluir
  13. Você escreve de uma maneira que prende a gente. Que coisa, não sabia sobre seu rim e transplante. Deve ser algo com o qual aprendemos a lidar, porque assim de cara limpa, sem alguma experiência, pode parecer algo assustador. Boa sorte em tudo, linda, e continue confiante sempre!!!

    ResponderExcluir
  14. ***Mania, thank you! I hope you keep reading. my blog. Kisses.

    ***Lucinha, obrigada. Tenho certeza de que é uma benção grande mesmo. Beijos.

    ***Allan, deve ser porque volta e meia dou uns barracos aqui...rs...beijos.

    ***Bibia, Ainda sou caloura nisso, tenho três meses de transplante. Eu concordo com vc, é assustador, por isso acho que minha fé é um presente.;0) beijos.

    ResponderExcluir
  15. Vivien, vc escreve de um jeito tão gostoso de ler.
    Tem dias que to meio pra baixo, aí dou uma passadinha por aqui, vejo a graciosidade com que vc enfrenta as situações - que podem parecer pavorosas - e você as transforma em riso e alegria de viver!
    Você deve ser uma pessoa escolhida por Deus, querida! Não deve ser à toa que não precisou da diálise e que teve um rim novinho para usar quando foi necessário!
    Parabéns por cada dia na sua vida. E continue contando pra gente hehehe....
    Bjs
    Lu
    http://eu-espelho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. ***Lu, fico muito lisonjeada com suas palavras, obrigada mesmo.Eu tenho muita fé e acho que Deus dá muitos e muito milagres pra gente, diariamente, acho que a gente tem que se abrir para ver e sentir isso. Um grande beijo pra você.

    ResponderExcluir
  17. Oi minha flor, uma semana bemmm positiva e cheia de luz e fé para vc, cheinha de coisas boas!!!
    bj

    ResponderExcluir
  18. Oi Viven!!!
    Puxa que legal que o doador foi o seu irmão.
    Fico feliz por saber que está bem.
    Pois acho que deve ser assim, levar a vida com humor, com alto astral e principalmente com fé , pois tudo isso faz com que tudo vale a pena.
    Que Deus esteja sempre contigo.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  19. ***Nagridt, obrigada, beijocas, querida.;0)

    ***Rosi, com fé a gente consegue, né? Sorte nossa! beijos.;0)

    ResponderExcluir
  20. Acredito, ainda, que nem de longe as pessoas são normais.

    ResponderExcluir
  21. Menina, como vc anda inspirada, fiquei uns dias sem aparecer pro café e nem consigo dar conta desse monte de texto!!!!! Legal, ADOOOORROOOOO1

    ResponderExcluir
  22. Vivinha
    traduzir em palavras emoções fortes como as vividas nesse período, com bom humor é bem próprio de vc.Parabéns pela forma equilibrada como conseguiu conduzir suas emoções, apesar dos casos dramáticos contados e recontados por outros.
    A fé nos fortalece e nos ajuda a suavizar a dor.
    Bjs, minha filha.

    ResponderExcluir
  23. Prima cadê vc? Estou sentindo a sua falta. Beijinhos Jú

    ResponderExcluir
  24. Bom fim de semana menina bonita. Fique bem. Beijinho

    ResponderExcluir
  25. Oi minha flor....tem tempo que não passo por aqui e fico feliz em chegar aqui te encontrar lindaloiraejaponesa...adoro ler seus textos cheio de realidade e tão espontâneo.E realmente concordo que nesse mundo ninguém é real.

    um beijo minha querida

    Vânia Pinho

    ResponderExcluir
  26. SAUDADE DE PASSAR POR AQUI E LER UM TEXTO ASSIM:QUE FLUI!
    ABENÇOADA SEMANA E ESTOU COM SAUDADES!BJ

    ResponderExcluir
  27. Oi Vivien, por conta da doença do meu pai, fiquei ausente um tempo e acabei perdendo os últimos fatos, mas fico feliz em saber que vc está bem.
    Sabe, lendo seu relato, lembrei dos meus dias no hospital com meu pai. Engraçado como a gente acaba criando laços com as pessoas, virando conhecedora da vida alheia, né? Mas acho essa troca super importante, até pra que o paciente não se sinta sozinho nessa luta.
    Beijocas.

    ResponderExcluir
  28. Interessante a sua colocação, passar do lugar de "quem corta" para "quem é cortado"
    abs,

    ResponderExcluir
  29. Olá florzinha, vim te dar um beijinho e desejar uma boa semana. Fique bem. carinhos

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: