06 setembro 2008

Ser ou não ser? Eis a questão.
















Batman é um filme tremendo. Se você ainda não assistiu, vá correndo ao cinema mais próximo, porque está perdendo um filme incrível.
Eu tentei não ler nada sobre ele, porque não queria nenhum spoiler estragando minha leitura do filme, mas a trágica morte de Heath Ledger acabou me fazendo ler sobre ele e sua atuação. Então, o que vou dizer não me surpreendeu e nem vai surpreender vocês: Ledger está absolutamente impressionante como Coringa. Aterrorizante, irônico, "senhor do caos" como ele mesmo se apresenta, um legítimo morador do Arkan.
E é exatamente isso que me seduz como leitora, a loucura presente nos inimigos do Cavaleiro das Trevas, loucura essa que os faz ser encerrados no Asilo Arkan, e não presos, porque mais do que meros ladrões, eles são psicóticos.
Talvez tanto quando o próprio Batman, na dualidade tão bem comentada pelo Rafael: Batman como um duplo em relação ao Coringa, ambos sendo lados equivalentes de uma mesma moeda.
Essa dualidade parece ser expressa novamente em Duas Caras, a maior expressão do maniqueísmo em termos de HQ, em minha opinião.
A transformação de Bruce em Batman, a forma como ele se refere ao Morcego, como Outro, como Entidade, é incrivelmente interessante. A mudança da voz - que fica roucamente sexy - é um dos passos da caracterização que me lembra o método stanislavski. Nesse caso, Bruce Wayne, o "ator" se apropria de um personagem "Batman", e se envolve com ele, em um mergulho frenético. Uma vez dentro desse personagem, tomado por ele, paulatinamente se torna o próprio morcego e Bruce Wayne se torna cada vez mais o "personagem": o mauricinho babaca e mulherengo.
Então...quem seria real? Batman ou Bruce?

9 comentários:

  1. Bom, no mínimo deu vontade de assistir. Logo, você conseguiu fazer direitinho o que queria. Falar do filme com maestria.
    Um lindo domingo Vivien.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Aninha, assista e me conte.;0)
    Obrigada por suas palavras, sempre gentis, beijão.

    ResponderExcluir
  3. ai que saudade de você mulher! eu também gostei muito do batman. depois de ver o filme eu li textos falando muito mal mas concordo com você, gostei também. até fiz post sobre e talz. eu fui ver aí em Sampa com o meu pai que foi um dos que não gostou. acho que todos que não gostaram são os que queriam que fosse exatamente como na HQ e esquecem que para ser atualizado para o povo da minha idade e da do daniel tem que ter umas coisas a mais como a voz diferente e tudo. beijos.

    ResponderExcluir
  4. Belle, tb estou com saudades de vc, quando vc vem pra cá?
    Quanto a voz do Batman, acho que é uma das pistas pra se sacar o quanto o Morcego "toma conta" de Bruce´. Pois é, mil anos de terapia....rs
    beijos e saudades.

    ResponderExcluir
  5. Isso é verdade, Vivien.
    Você comenta filmes com uma maetria boa de se ver!
    Arrasou!

    ResponderExcluir
  6. Vivien, o meu Batman era o "Homem-Morcego" das antigas histórias em quadrinhos publicadas nas revistas juvenis O Lobinho, o Guri Mensal, O Gibi Mensal, O Globo Juvenil. Ninguém discutia o timbre de voz ou as preferências sexuais do nosso herói. Depois, com os filmes, a coisa ficou meio complicada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. ***Tati, obrigada, eu adoro cinema.
    Adoraria ir ao cinema todo dia.;0)
    beijocas.

    ***Adelino, acho que o divâ chegou até os heróis.;0)
    Beijos.
    Adoro ler sobre sua coleção!

    ResponderExcluir
  8. Vivinha
    Tai...gostei. Quem é o real o Batmam ou o Bruce??????
    Para mim, o real, sem dúvida vai continuar sendo o Bruce, o babaca. A fantasia fica por conta da beleza, da força, da magia, e até do sinistro,Batmam, o morcego.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Mãe, essa é uma curiosidade minha, mas acho que o morcego tomou conta...rs
    beijos.

    ResponderExcluir

Queridinho, entre e fique à vontade: